Lista dos principais comandos git e para que servem

COMPARTILHAR:

Git, a ferramenta essencial para o controle de versão moderno, é conhecida por sua robustez e flexibilidade. Com uma ampla gama de comandos git disponíveis, o Git oferece aos desenvolvedores um controle preciso sobre seus projetos, facilitando a gestão de alterações de código, colaboração e muito mais. Nesta postagem, vamos mergulhar no mundo dos comandos Git, explorando as principais categorias e o que cada comando faz.

Principais comandos git (Main commands)

Esses comandos são frequentemente usados e cobrem a maioria das operações diárias no Git.

add: Adiciona conteúdos de arquivos ao índice.

am: Aplica uma série de patches de uma caixa de correio.

archive: Cria um arquivo de arquivos de uma árvore nomeada.

bisect: Usa busca binária para encontrar o commit que introduziu um bug.

branch: Lista, cria ou deleta branches.

bundle: Move objetos e referências por arquivo.

checkout: Alterna branches ou restaura arquivos da árvore de trabalho.

cherry-pick: Aplica mudanças introduzidas por alguns commits existentes.

citool: Alternativa gráfica para o git-commit.

clean: Remove arquivos não rastreados da árvore de trabalho.

clone: Clona um repositório em um novo diretório.

commit: Registra mudanças no repositório.

describe: Dá um nome legível a um objeto com base em uma referência disponível.

Formação Python Onebitcode

diff: Mostra mudanças entre commits, entre commit e árvore de trabalho, etc.

fetch: Baixa objetos e referências de outro repositório.

format-patch: Prepara patches para submissão por e-mail.

gc: Limpa arquivos desnecessários e otimiza o repositório local.

gitk: Navegador de repositório Git.

grep: Imprime linhas que correspondem a um padrão.

gui: Interface gráfica portátil para Git.

init: Cria um repositório Git vazio ou reinicializa um existente.

log: Mostra logs de commits.

maintenance: Executa tarefas para otimizar dados de repositório Git.

merge: Junta duas ou mais histórias de desenvolvimento.

mv: Move ou renomeia um arquivo, diretório ou symlink.

notes: Adiciona ou inspeciona notas de objeto.

pull: Busca de e integra com outro repositório ou um branch local.

push: Atualiza referências remotas junto com os objetos associados.

range-diff: Compara dois intervalos de commits (ex.: duas versões de um branch).

rebase: Reaplica commits em cima de outra base.

reset: Reseta o HEAD atual para o estado especificado.

restore: Restaura arquivos da árvore de trabalho.

revert: Reverte alguns commits existentes.

rm: Remove arquivos da árvore de trabalho e do índice.

MiniCurso Sujeito Prog Banner Dinâmico

scalar: Ferramenta para gerenciar grandes repositórios Git.

shortlog: Resume a saída do ‘git log’.

show: Mostra vários tipos de objetos.

sparse-checkout: Reduz sua árvore de trabalho a um subconjunto de arquivos rastreados.

stash: Guarda alterações em uma árvore de trabalho suja.

status: Mostra o status da árvore de trabalho.

submodule: Inicializa, atualiza ou inspeciona submódulos.

switch: Alterna branches.

tag: Cria, lista, deleta ou verifica um objeto de tag assinado com GPG.

worktree: Gerencia múltiplas árvores de trabalho.

Comandos git auxiliares / manipuladores (Ancillary commands / Manipulators)

Esses comandos são usados para manipular dados e configurações no Git.

config: Obtém e define opções do repositório ou globais.

fast-export: Exportador de dados Git.

fast-import: Backend para importadores rápidos de dados Git.

filter-branch: Reescreve branches.

mergetool: Executa ferramentas de resolução de conflitos de merge.

pack-refs: Empacota cabeças e tags para acesso eficiente ao repositório.

prune: Poda todos os objetos inacessíveis do banco de dados de objetos.

reflog: Gerencia informações do reflog.

remote: Gerencia conjunto de repositórios rastreados.

hostinger banner

repack: Empacota objetos desempacotados em um repositório.

replace: Cria, lista, deleta referências para substituir objetos.

Comandos git auxiliares / Interrogadores (Ancillary commands / Interrogators)

Esses comandos são utilizados para inspecionar e analisar dados no Git.

annotate: Anota linhas de arquivos com informações de commit.

blame: Mostra qual revisão e autor modificaram pela última vez cada linha de um arquivo.

bugreport: Coleta informações para o usuário arquivar um relatório de bug.

count-objects: Conta o número de objetos desempacotados e seu consumo de disco.

diagnose: Gera um arquivo zip de informações diagnósticas.

difftool: Mostra mudanças usando ferramentas de diff comuns.

fsck: Verifica a conectividade e validade dos objetos no banco de dados.

gitweb: Interface web do Git (frontend web para repositórios Git).

Leia também: Git log: guia completo para iniciantes

Conclusão de comandos git

Este guia oferece uma visão abrangente dos comandos Git disponíveis, destacando a vastidão e a profundidade das ferramentas à disposição dos desenvolvedores. Cada comando tem seu próprio conjunto de opções e nuances, então explorá-los individualmente pode ser muito enriquecedor. Lembre-se de que, para informações detalhadas sobre um comando específico, você pode sempre usar git help <command>. Feliz codificação!

Link importante: documentação oficial do git

Conteúdo em vídeo sobre o que é git

Git // Dicionário do Programador // Canal Código Fonte
COMPARTILHAR:
brayan

Brayan Monteiro

Bacharel em Sistemas de Informação pela Faculdade Maurício de Nassau e desenvolvedor PHP. Além de programador, produzo conteúdo e gerencio blogs. Sou especialista em desenvolvimento de software, SEO de sites e em negócios digitais.