O que é SDK? Qual a diferença entre SDK e API?

COMPARTILHAR:

API é a comunicação entre diferentes componentes de software, enquanto SDK significa um kit de ferramentas completo contendo APIs para tarefas específicas.

O ecossistema do desenvolvedor usa duas ferramentas básicas, um SDK e uma API. Hoje, entender as diferenças fundamentais é fundamental, pois a comunidade de desenvolvedores usa ambos extensivamente no processo moderno de desenvolvimento de software.

O padrão de desenvolvimento é impulsionado por esses dois fatores. SDKs e APIs são os principais impulsionadores para a implementação de APIs de terceiros e comunicação na web.

Essencialmente, tanto o SDK quanto a API são ótimos para melhorar a funcionalidade e o desempenho geral de um aplicativo. No entanto, para melhorar a experiência de equipes internas e usuários finais, é inevitável entender como essas ferramentas funcionam, como elas se diferenciam e como podem ajudar no processo de desenvolvimento de software.

Vamos dar uma olhada em cada uma dessas ferramentas.

O que é um SDK?

SDK é um acrônimo para “Software Development Kit”, também conhecido como “devkit”. Um SDK é definido por um conjunto de ferramentas de construção de software específicas da plataforma. Essas ferramentas incluem depuradores, compiladores, bibliotecas de código (ou seja, estruturas) ou rotinas e sub-rotinas específicas do sistema operacional.

Os blocos de construção de um SDK típico incluem:

SDK building blocks
  • Depurador: Um depurador permite que os desenvolvedores identifiquem e corrijam erros no código do programa.
  • Compilador: Um compilador é um programa que processa instruções de linguagem de programação e as traduz em uma linguagem compreensível por máquina ou “código” usado pelo processador.
  • Amostras de código revelam tarefas de programação ou cenários que fornecem uma imagem mais clara de um aplicativo ou página da Web.
  • Rotinas e Sub-rotinas: Uma rotina ou sub-rotina é um método, função, procedimento, sub-rotina ou código que pode ser chamado e executado em qualquer lugar em todo o código do programa. Por exemplo, a opção de salvar arquivo é realizada por meio de uma rotina.
  • Bibliotecas de código: as bases de código permitem que os desenvolvedores usem recursos existentes (como sequências de código) em vez de reinventá-los.
  • Ferramentas de teste e análise: essas ferramentas avaliam o desempenho do aplicativo em ambientes de teste e produção.
  • Documentação: Os desenvolvedores consultam as instruções de documentação (conforme necessário) durante o desenvolvimento.

Geralmente, um SDK tem pelo menos uma API em seu kitty, porque sem uma API, os aplicativos não podem interagir, retransmitir, executar ou colaborar.

Como funciona o SDK?

O SDK fornece um conjunto de ferramentas que os desenvolvedores precisam para criar facilmente aplicativos de software.

Por exemplo, o Facebook fornece SDKs para Android do Google e iOS da Apple. Esses SDKs atuam como bibliotecas de código aberto para ajudá-lo a integrar o Facebook em seus aplicativos Android ou iOS. Além disso, a Microsoft fornece o SDK do .NET Framework para aplicativos maiores. Ele contém exemplos básicos, ferramentas e bibliotecas para desenvolver aplicativos do Windows.

Agora que você está familiarizado com os detalhes do SDK, vamos entender como o SDK funciona.

O que e SDK 1
  • Inicialmente, você compra, baixa e instala os “kits de ferramentas” necessários para sua plataforma. Isso pode incluir o download de arquivos contendo componentes, conjuntos de instruções e exemplos.
  • Em seguida você pode então acessar todas as ferramentas necessárias, um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE), para desenvolver novos aplicativos. Depois disso, os desenvolvedores podem começar a escrever seus aplicativos. O papel do compilador torna-se aparente nesta fase.
  • Por fim, você pode testar seu novo aplicativo com instruções, documentação, amostras de código e ferramentas de análise.

Depois de concluir essas etapas, você pode iniciar sua jornada do SDK.

Tipos de SDK

Os desenvolvimentos de aplicativos móveis e da Web são executados na premissa de SDKs. Vejamos alguns dos tipos comuns de SDK.

  • SDKs de plataforma : esses SDKs são os principais componentes necessários para o desenvolvimento de aplicativos para qualquer plataforma. Por exemplo, o SDK do Windows 10 é usado para desenvolver aplicativos da Windows 10 Store.
  • SDKs de extensão : são SDKs opcionais usados ​​para estender e personalizar o ambiente de desenvolvimento. No entanto, eles não são obrigatórios para o desenvolvimento de aplicativos para uma plataforma específica.
  • SDKs específicos de linguagem de programação : Esses SDKs são usados ​​para desenvolver programas em linguagens específicas. Por exemplo, o Java Developer Kit (JDK) é usado para desenvolver aplicativos usando a linguagem de programação Java.
  • SDKs do Google Analytics : esses SDKs coletam dados como comportamentos do usuário, ações etc. Por exemplo, o SDK do Google Analytics.
  • SDKs de monetização : esses SDKs são usados ​​por desenvolvedores para implantar anúncios que saem dos aplicativos existentes. Eles são colocados em prática com o único propósito de gerar receita.

Benefícios do SDK

Os SDKs apresentam vários benefícios para a comunidade de desenvolvedores. Principalmente, eles não precisam trabalhar duro para desenvolver aplicativos com o uso eficiente de kits de desenvolvimento de software.

  • Acesse peças pré-fabricadas: o SDK fornece acesso fácil a peças pré-fabricadas, reduzindo assim o tempo gasto no desenvolvimento de software. Por exemplo, o Android map SDK permite configurar e implantar vários serviços de localização em seu aplicativo. O SDK fornece acesso fácil às partes constituintes e as agrupa no aplicativo (por exemplo, coordenadas de localização, como longitude, latitude, serviços em um local específico).
  • Integrações perfeitas : os SDKs oferecem integrações mais suaves com diferentes softwares e aplicativos. Eles também fornecem acesso direto às informações necessárias por meio de documentação adequada.
  • Forneça atalhos para desenvolvedores : os SDKs permitem que os desenvolvedores reutilizem sequências de código à medida que encurtam o ciclo de desenvolvimento. Isso dá aos desenvolvedores tempo suficiente para se concentrar em tarefas críticas.
  • Suporte integrado : os SDKs são habilitados com conhecimento de código integrado (suporte), incluindo documentação completa. Assim, os desenvolvedores não precisam procurar especialistas no domínio para resolver suas dúvidas.
  • Acessibilidade : Os fatores mencionados acima ajudam a anular os gastos excessivos incorridos no desenvolvimento de software e nas fases de pós-implantação.

Vamos agora pular para o componente intermediário da API.

O que é uma API?

API é um acrônimo para ‘Application Programming Interface’. Ela elabora um conjunto de regras usando as quais as plataformas, dispositivos ou aplicativos se conectam e se comunicam entre si. A API pode fazer parte de um SDK ou existir de forma independente. Em ambos os cenários, estabelece sincronia sistêmica entre diversas aplicações.

Os desenvolvedores maximizam o benefício de software não-livre (proprietário) ou baseado em nuvem para criar APIs eficazes . Eles podem então aproveitar os serviços que os usuários podem acessar por meio das APIs criadas.

A API é análoga a um acordo entre duas partes. Ele oferece troca instantânea de informações, juntamente com diretrizes sobre como as informações devem ser comunicadas.

Algumas APIs são conhecidas por fornecer ‘interface’, portanto ‘API’ e ‘interface’ são vagamente consideradas as mesmas entidades.

Componentes chave

A API tem dois componentes principais:

API Key Components e1632048778525
  • Especificações técnicas: As especificações de uma API referem-se às informações relativas aos protocolos de integração da API (ou seja, com outras plataformas, aplicativos). Eles precisam ser bem documentados para garantir o uso eficaz da API.
  • A interface:  Interface fornece um caminho para acessar APIs. Ele pode ser acessado com uma palavra-chave se for uma API da Web ou por meio de uma interface separada.

Vamos agora mergulhar em como uma API típica funciona.

Como funciona uma API?

As APIs permitem um diálogo suave entre vários conjuntos de aplicativos.

Considere um exemplo em que você já tem um aplicativo de venda de mantimentos em que seus usuários podem pesquisar e comprar mantimentos online. Seu aplicativo já fornece esse serviço. Agora, digamos que os usuários também desejem procurar supermercados em um local específico dentro de uma cidade. Nesse caso, você pode integrar seu aplicativo com fornecedores de serviços de mercearia estabelecidos que operam na cidade. Ao implantar a API de geolocalização , você permitiria que os usuários procurassem por mercearias sem se preocupar com um aplicativo de geolocalização separado.

Do ponto de vista técnico, uma chamada de API segue as etapas abaixo:

o que e API
  • Um usuário do aplicativo inicia a tarefa do seu aplicativo criando uma solicitação.
  • A API retransmite a solicitação fazendo uma chamada para o servidor web. A API sabe para onde enviar a solicitação, pois a solicitação geralmente é direcionada para alcançar o endpoint da API. A URL do servidor define o endpoint.
  • Por fim, a tarefa é realizada à medida que o banco de dados ou aplicativo de terceiros fornece o serviço solicitado.

Tipos de API

REST (Representational State Transfer, em português Transferência Representacional de Estado): APIs REST são um dos tipos de API mais populares onde a API precisa aderir a um conjunto de princípios como:

  • Arquitetura cliente-servidor: as alterações feitas no servidor não devem afetar o cliente
  • Comunicação entre cliente e servidor via HTTP, CRUD (Create, Read, Update, Delete) e JSON.
  • Stateless: Não há armazenamento do estado do cliente no servidor entre duas solicitações.

O REST geralmente é usado para transferir dados. Por exemplo, a API do Facebook é usada para obter o nome, a localização e a foto do perfil de um usuário do Facebook em outro aplicativo.

RPC (Chamada de procedimento remoto ou Remote procedure call):  É usado para executar código em outro sistema. Ao contrário do REST, onde o cliente solicita apenas dados, o RPC chama métodos. As solicitações podem ser enviadas nos formatos XML ou JSON e são chamadas de XML-RPC e JSON-RPCs. O remetente da solicitação espera uma resposta do outro sistema após a execução do método.

Por exemplo, uma API de gateway de pagamento autentica um número de cartão de crédito (executa o código em seu final) e envia uma resposta de sucesso ou falha ao aplicativo de chamada.

APIs SOAP (Simple Object Access Protocol, em português Protocolo Simples de Acesso a Objetos) : São APIs baseadas na web usadas em casos que exigem maior privacidade e segurança de dados. Eles podem se comunicar por meio de protocolos baseados na web, como HTTP, SMTP, TCP/IP, etc.

SOAP é um conjunto de protocolos, enquanto REST é um modelo de arquitetura. Isso possibilita a criação de APIs RESTful usando protocolos baseados em SOAP.

Benefícios da API

As APIs são benéficas para ambos os grupos, usuários comuns e profissionais de desenvolvimento. Os desenvolvedores podem se conectar com as partes interessadas do negócio para atualizar os sistemas da agência e expandir o potencial de negócios da agência.

Embora os benefícios possam trazer a perspectiva do desenvolvedor, as APIs amplificam tanto a experiência do desenvolvedor quanto a experiência do usuário final. Vamos dar uma olhada em alguns dos benefícios oferecidos pelas APIs.

  • Integração : as APIs conectam aplicativos de software díspares à medida que aprimoram o desempenho geral do aplicativo ou do produto.
  • Ciclo de desenvolvimento facilitado : as APIs ajudam os desenvolvedores a encurtar o ciclo de desenvolvimento de software. A automação da API é a chave, pois os computadores são usados ​​para gerenciar o trabalho em vez de uma força-tarefa manual. As APIs permitem que as empresas atualizem seus fluxos de trabalho de uma só vez.
  • Eficiência : Com acesso à API, o conteúdo gerado pode ser facilmente compartilhado e redistribuído em vários canais.
  • Personalização : as APIs permitem personalizações. Qualquer usuário ou empresa pode aproveitar isso personalizando o conteúdo ou serviços conforme sua necessidade.

A diferença entre um SDK e uma API

Vamos entender a diferença entre os dois constituintes com exemplos.

O Facebook oferece um conjunto de soluções que oferece ferramentas para desenvolvedores profissionais e também para usuários ativos. Ele tem uma API e um SDK. Ambas as ferramentas têm o direito de executar funcionalidades diferentes e são específicas para cada caso de uso. Começaremos com as APIs.

APIs do Facebook

Em parceria com desenvolvedores de terceiros, as APIs do Facebook se conectam ao Facebook e acessam os dados necessários sobre um usuário. Isso é usado para personalizar as funções do aplicativo.

Por exemplo, um aplicativo de reserva de filmes usa a API do Facebook para permitir que você faça login no aplicativo usando sua ID do Facebook. Seu nome e detalhes do perfil são compartilhados com o aplicativo de reserva de filmes para garantir a autenticidade do usuário e evitar que você se lembre de um login e senha separados. Ele também permite que o aplicativo de reserva de filmes mostre anúncios relevantes enquanto você navega no seu feed do Facebook.

Um dos USPs da API inclui como ela se acopla a um explorador da Graph API. O serviço Graph API cria dados relacionais entre usuários, contas, atualizações, grupos e muito mais.

GET graph.facebook.com/me?fields=posts.limit(5){message}

Aqui observamos um exemplo de emissão de API para melhor compreensão. A chamada acima recuperará até cinco postagens que você publicou e o texto de cada postagem individual.

Vamos dar outro exemplo.

GET graph.facebook.com/me?fields=posts.limit(5){message,privacy{value}}

A consulta da API acima retorna o texto e as configurações de privacidade de cada postagem que você publicou.

Ambas as APIs são executadas na Graph API, auxiliando assim na geração de análises (ou seja, dados relacionais).

Embora o exemplo acima seja um caso de uso simples, considere outro cenário em que o proprietário de um restaurante deseja listar os usuários que participaram de uma festa em seu restaurante. O proprietário poderia usar uma chamada de API do Facebook e gerar uma lista de usuários presentes durante a função acessando as fotos clicadas na festa e os usuários do Facebook marcados.

Além disso, as autoridades do restaurante também podem ter uma lista de contas sociais dos usuários e usá-las para futuras promoções. Sem APIs, o desenvolvimento de tais funcionalidades pode ser complicado. Em seguida, veremos os SDKs do Facebook.

SDKs do Facebook

Os SDKs fornecidos pelo Facebook são projetados especificamente para “criação de aplicativos”. Por exemplo, existem muitos jogos que você pode jogar no aplicativo do Facebook. Eles foram projetados para serem executados no Facebook e você precisa de um SDK para criar esses aplicativos.

Vejamos o SDK do Facebook para iOS. Permite o desenvolvimento de aplicativos do Facebook para iOS em específico.

Considere o seguinte trecho de código divulgando o SDK do Facebook para iOS:

/**
 * For more details, please take a look at:
 * developers.facebook.com/docs/reference/ios/current/class/FBSDKAppEvents
 */
- (void)applicationDidBecomeActive:(UIApplication *)application {    
    [FBSDKAppEvents activateApp];    
}

O exemplo acima é usado para registrar eventos relacionados a ativações de aplicativos.

A estrutura da chamada varia em ambos os casos. Uma API executa uma ação predefinida por meio de fontes e funções existentes. Pelo contrário, o SDK primeiro define a função e depois chama a origem e a função.

Escolhendo entre um SDK e uma API

As APIs descrevem essencialmente como plataformas diferentes podem trabalhar juntas de forma síncrona. Eles auxiliam na integração de aplicativos por meio de protocolos e especificações. Assim, eles são um dos componentes críticos de um SDK. As APIs, no entanto, não podem ser usadas para criar aplicativos do zero.

Os SDKs facilitam a criação de um novo aplicativo ou software específico para uma linguagem ou plataforma de programação. Um SDK geralmente tem pelo menos uma API para se comunicar externamente.

Se você estiver criando um aplicativo para ser executado em uma plataforma específica, como iOS, use o SDK para essa plataforma. Para se comunicar com outros aplicativos da web, como o Facebook, use a API desse aplicativo.

Conclusão

Em resumo, a diferença entre um SDK e uma API é destacada nos seguintes postulados:

  • Os SDKs geralmente contêm APIs, mas nenhuma API inclui SDKs.
  • Como uma fundação de uma casa que permite que a casa fique alta, os SDKs permitem a criação de aplicativos.
  • As APIs decidem o funcionamento e a comunicação dos aplicativos dentro dos SDKs, semelhantes às linhas telefônicas que permitem o contato com o mundo exterior.
Leia também: As 5 principais ferramentas online para remover marcas d’água
COMPARTILHAR:
brayan

Brayan Monteiro

Bacharel em Sistemas de Informação pela Faculdade Maurício de Nassau e desenvolvedor PHP. Além de programador, produzo conteúdo e gerencio blogs. Sou especialista em desenvolvimento de software, SEO de sites e em negócios digitais.