UX vs UI Qual a diferença?

COMPARTILHAR:

Em seu nível mais básico, uma interface de usuário (UI) é a série de telas, páginas e elementos visuais (como botões e ícones) que permitem que as pessoas interajam com um produto ou serviço. Vem comigo neste artigo que você vai descobrir a diferença entre UX vs UI.

A experiência do usuário (UX), por outro lado, é a experiência interna que uma pessoa experimenta ao interagir com vários aspectos dos produtos e serviços de uma empresa.

As pessoas costumam usar esses termos de forma intercambiável e, às vezes, incorretamente. Se você já se perguntou: “O que é UI, o que é UX e qual é a diferença entre eles?” Hoje vamos dar uma olhada mais profunda em UI e UX para entender melhor a diferença entre eles.

Atenção! Descubra os melhores cursos de programação neste guia especial: Cursos de Programação.

O que é uma interface de usuário (UI)?

Simplificando, uma interface de usuário (UI) é qualquer coisa com a qual um usuário pode interagir para usar um produto ou serviço digital. Isso inclui tudo, desde telas e telas sensíveis ao toque, teclados, sons e até luzes. No entanto, para entender a evolução da interface do usuário, é útil saber um pouco mais sobre sua história e como ela evoluiu para as melhores práticas e profissões.

Um breve histórico sobre a interface do usuário

Na década de 1970, se você quisesse usar um computador, teria que usar uma interface de linha de comando. As interfaces gráficas usadas hoje ainda não existem comercialmente. Para que os computadores funcionem, os usuários precisam se comunicar por meio de linguagens de programação, exigindo linhas de código aparentemente intermináveis ​​para realizar uma tarefa simples.

Na década de 1980, a primeira interface gráfica do usuário (GUI) foi desenvolvida por cientistas da computação da Xerox PARC. Com essa inovação revolucionária, os usuários agora podem interagir com seus computadores pessoais enviando comandos visualmente por meio de ícones, botões, menus e caixas de seleção.

Essa mudança tecnológica significou que qualquer um poderia usar um computador, sem necessidade de codificação, e a revolução do computador pessoal começou.

Em 1984, a Apple Computer introduziu o computador pessoal Macintosh, que incluía um mouse de apontar e clicar. O Macintosh foi o primeiro computador doméstico comercialmente bem-sucedido a usar essa interface.

A acessibilidade e a onipresença dos computadores pessoais e de escritório significam que as interfaces precisam ser projetadas com o usuário em mente. Se os usuários não puderem interagir com seus computadores, eles não venderão. Assim, nasceu o designer de interface do usuário.

Como acontece com qualquer tecnologia em evolução, o papel do designer de interface do usuário muda à medida que os sistemas, preferências, expectativas e acessibilidade impõem cada vez mais demandas aos dispositivos. Hoje, os designers de interface do usuário trabalham não apenas em interfaces de computador, mas também em telefones celulares, realidade aumentada e virtual e até interfaces “invisíveis” ou sem tela (também conhecidas como zero UI), como voz, gestos e iluminação.

Os designers de interface do usuário hoje têm oportunidades quase ilimitadas para trabalhar em sites, aplicativos móveis, tecnologia vestível e dispositivos domésticos inteligentes, apenas para citar alguns. Enquanto os computadores continuarem a fazer parte da vida cotidiana, haverá a necessidade de criar interfaces que permitam que usuários de todas as idades, origens e conhecimentos técnicos os usem de maneira eficaz.

curso fabrica de aplicativos
Aprenda a criar aplicativos Android e iOS neste treinamento que contém um super didática para iniciantes!

O que é a Experiência do Usuário (UX)?

A experiência do usuário ou UX é o resultado de melhorias na interface do usuário. Depois que os usuários podem interagir com ele, suas experiências, sejam elas positivas, negativas ou neutras, mudam a forma como os usuários se sentem sobre essas interações.

O cientista cognitivo Don Norman, que cunhou o termo “experiência do usuário” enquanto trabalhava na Apple no início dos anos 1990, define-o desta forma:

“Experiência do usuário” inclui todos os aspectos da interação de um usuário final com uma empresa, seus serviços e produtos.

É uma definição ampla que pode abranger todas as interações possíveis que uma pessoa pode ter com um produto ou serviço – não apenas experiências digitais. Alguns profissionais de UX optam por se referir ao campo como experiência do cliente, enquanto outros vão além e simplesmente se referem ao campo como design de experiência.

Independentemente do nome, a definição original de experiência do usuário de Norman está no centro de todo design de experiência de pensamento – é abrangente e sempre centrada na pessoa com quem interage.

Para entender o que torna uma boa experiência, Peter Moreville desenvolveu um ótimo visual para destacar os elementos do design UX eficaz.

UX vs UI Qual a diferenca 1

Esse “favo de mel de usabilidade” tornou-se a base das melhores práticas para profissionais de UX para ajudar a orientar seus esforços em vários pontos de contato do usuário, incluindo:

  • Como eles descobrirão os produtos da sua empresa
  • A sequência de ações que eles executam ao interagir com a interface
  • Pensamentos e sentimentos que surgem ao tentar concluir uma tarefa
  • Impressões que eles obtiveram de toda a interação

Os designers de UX são responsáveis ​​por garantir que uma empresa forneça um produto ou serviço que atenda às necessidades do cliente e permita que os clientes alcancem os resultados desejados sem problemas.

Os designers de UX trabalham em estreita colaboração com designers de interface do usuário, pesquisadores de UX, profissionais de marketing e equipes de produtos para aprender sobre seus usuários por meio de pesquisa e experimentação. Eles usam os insights obtidos para iterar e melhorar continuamente a experiência, com base em pesquisas quantitativas e qualitativas do usuário.

Leia também: PHP: guia sobre constantes | 7 sites e aplicativos para baixar vídeos do tiktok sem marca d’água | Pensar como um hacker pode impulsionar a estratégia de segurança cibernética

Qual é a diferença entre UX vs UI?

No nível mais básico, uma interface de usuário consiste em todos os elementos que permitem que alguém interaja com um produto ou serviço. UX, por outro lado, é o que os indivíduos que interagem com esse produto ou serviço ganham com a experiência geral.

Don Norman e Jakob Nielsen resumem bem quando dizem:

É importante distinguir a experiência geral do usuário da interface do usuário (IU), embora a IU seja obviamente uma parte extremamente importante do design. Por exemplo, considere um site com resenhas de filmes. Mesmo que a interface do usuário para encontrar filmes seja perfeita, se o banco de dados subjacente contiver apenas filmes dos principais estúdios, a experiência do usuário será ruim para usuários que precisam de informações sobre pequenos lançamentos independentes.

Veja o Google, por exemplo. Sua famosa interface espartana destaca como uma ótima experiência não precisa de sinos e assobios. Ao focar no usuário, o Google sabe que quando ele visita um site, ele busca uma coisa: informação. Eles vão querer em breve.

O fato de “Google” ser um verbo amplamente aceito mostra como a empresa corresponde a essa experiência e expectativa. Quase tudo o que uma pessoa deseja saber pode ser acessado em um piscar de olhos, e poucos outros mecanismos de busca sobrevivem hoje.

Agora imagine que leva 15 segundos para obter um resultado toda vez que você faz uma pesquisa no Google – você não poderá mais obter uma resposta imediata para sua pergunta. Embora a interface permaneça a mesma, sua experiência com o Google será muito diferente.

COMPARTILHAR:
brayan

Brayan Monteiro

Bacharel em Sistemas de Informação pela Faculdade Maurício de Nassau e desenvolvedor PHP. Além de programador, produzo conteúdo e gerencio blogs. Sou especialista em desenvolvimento de software, SEO de sites e em negócios digitais.