10 dicas para melhorar a segurança do Wi-Fi

COMPARTILHAR:

A cibersegurança não é apenas uma questão de negócios. À medida que as pessoas executam mais dispositivos e mantêm dados mais confidenciais em suas redes domésticas, até mesmo os consumidores comuns podem ser alvos tentadores para os cibercriminosos. O Wi-Fi doméstico também costuma ser um alvo fácil devido a práticas inadequadas de segurança da informação.

A família americana média tem mais de dez dispositivos conectados à sua rede. Um hacker invasor pode acessar todos esses gadgets e os dados que eles processam.

Felizmente, alguns passos simples podem reduzir significativamente as chances de isso acontecer. Aqui estão 10 dicas para melhorar a segurança do Wi-Fi.

Use um roteador mais seguro

A segurança Wi-Fi começa com os dispositivos que tornam essas redes acessíveis. É importante perceber que nem todos os roteadores são criados iguais, e roteadores antigos e desatualizados podem não ser capazes de se defender contra ataques mais recentes.

Os padrões Wi-Fi mais recentes oferecem maior segurança, por isso é uma boa ideia atualizá-los a cada poucos anos. Procure um roteador que suporte pelo menos a criptografia WPA2, de preferência WPA3. Um roteador compatível com Wi-Fi 6, totalmente compatível com WPA3, proporcionando maior segurança.

Ative a criptografia

A maioria, se não todos, os roteadores disponíveis hoje oferecem criptografia, mas nem sempre têm a criptografia habilitada. Os usuários podem verificar suas opções acessando as configurações do roteador. Ative-o se ainda não estiver ativado.

Alguns roteadores têm várias opções de criptografia. O WPA é geralmente mais seguro que o WEP, portanto, escolha WPA2 ou WPA3 (se disponível) para proteção adicional. Se o seu roteador oferece apenas WEP, talvez seja hora de atualizá-lo.

Altere o nome da rede

Em seguida, os usuários devem alterar o nome de sua rede Wi-Fi, também conhecida como Service Set Identifier (SSID). Isso pode parecer trivial no início, mas os hackers podem encontrar vulnerabilidades mais facilmente pesquisando o SSID padrão para determinar a marca e o modelo do roteador.

Os SSIDs de Wi-Fi não precisam ser tão complicados quanto as senhas, mas quanto mais exclusivos e aleatórios eles forem, melhor. Evite revelar informações pessoais no SSID, como sobrenome, o que pode ajudar os invasores a adivinhar senhas.

Defina uma senha forte e exclusiva

Os usuários devem alterar a senha padrão após alterar o SSID padrão. A quebra de senhas é a maneira mais comum de os cibercriminosos invadirem redes domésticas, e muitos usam senhas fracas.

As senhas devem ser longas, aleatórias e conter vários tipos de caracteres. Também é importante evitar a reutilização de senhas. Se um invasor comprometer uma conta com uma senha compartilhada em outro site ou dispositivo, ele poderá usá-la para obter acesso gratuito à rede Wi-Fi.

Feche os recursos não utilizados

Os usuários que alteram as configurações do roteador também devem desativar todos os recursos extras de que não precisam. Alguns roteadores vêm com serviços como acesso remoto, que podem ser úteis em alguns casos, mas não obrigatórios. Como cada um representa outro local onde pode surgir uma vulnerabilidade e é acessível a um invasor, é melhor desabilitar locais não utilizados.

Quanto mais complexa a rede, mais difícil é protegê-la. A remoção de recursos desnecessários ajuda a reduzir a complexidade, dando aos usuários mais visibilidade e controle sobre a segurança do sistema.

Atualize seu dispositivo com frequência

A atualização é uma das etapas de segurança Wi-Fi mais importantes, mas muitas vezes negligenciadas, para qualquer dispositivo, incluindo roteadores. Nos EUA, até 83% dos roteadores têm vulnerabilidades conhecidas em seu firmware, deixando-os expostos onde uma simples atualização poderia protegê-los.

As atualizações de firmware garantem que os roteadores tenham os mais recentes patches e recursos de segurança. Se disponível, os usuários devem habilitar as atualizações automáticas. Se isso não for uma opção, eles devem verificar e baixá-los regularmente.

Desative a transmissão de nomes

A maioria dos roteadores exibe seu SSID publicamente por padrão. Isso torna mais fácil encontrar e conectar-se à sua rede doméstica, mas essa conveniência também se estende aos cibercriminosos. Entrar nas configurações e desativar a transmissão de nomes ou clicar em “Ocultar rede” o manterá privado.

Quando os invasores não podem ver a rede, eles não podem vê-la como um alvo em potencial. Os usuários precisam ativar e desativar esse recurso para conectar um novo dispositivo, mas a etapa extra vale a pena apenas para garantir a segurança.

curso de hacker etico
Aprenda Hacker Ético neste treinamento incrível!

Execute dispositivos domésticos inteligentes na rede de convidados

Abordar as vulnerabilidades da Internet das Coisas (IoT) também é importante. Dispositivos domésticos inteligentes são muito fáceis de hackear e, se os cibercriminosos invadirem, eles podem usá-los para acessar outros dispositivos e dados na mesma rede. Este é um problema comum, com 40,8% das casas inteligentes contendo pelo menos um dispositivo vulnerável, colocando toda a casa em risco.

A execução de dispositivos IoT na rede convidada ajuda a minimizar esses problemas. Os usuários podem fazer com que outro roteador configure um sistema separado ou crie um na mesma máquina.

Desligue o Wi-Fi quando sair

Assim como os usuários devem desativar recursos que não usam, eles também devem desativar toda a rede quando estiverem ausentes. As pessoas não precisam desligar o Wi-Fi sempre que saem de casa, mas é uma boa ideia para férias ou outras viagens.

A segurança é complexa e está sempre mudando, portanto, nenhuma rede é 100% segura. Portanto, é melhor eliminar completamente quaisquer vulnerabilidades potenciais desligando o sistema quando não estiver em uso. Dessa forma, os usuários limitam a janela pela qual os cibercriminosos podem acessar qualquer dispositivo ou dados.

Use software de segurança cibernética

Os usuários devem instalar software de segurança de rede para monitorar ameaças. A pesquisa mostra que as opções gratuitas e pagas são eficazes, portanto, os usuários não precisam gastar dinheiro para aumentar sua proteção. Este software ajuda você a encontrar e corrigir vulnerabilidades antes que elas causem grandes problemas.

Os usuários devem comparar o software para ver qual opção fornece o que eles precisam. Também é importante atualizar essas ferramentas para minimizar vulnerabilidades.

A segurança do Wi-Fi é fundamental hoje

A segurança Wi-Fi tornou-se uma parte essencial da vida cotidiana, portanto, proteger sua rede doméstica é fundamental. Essas 10 etapas podem ajudar a manter os sistemas dos usuários o mais seguros possível. As circunstâncias variam, mas todas as redes podem se beneficiar dessas medidas.

Leia também: Por que você deve migrar para o Next.js

COMPARTILHAR:
brayan

Brayan Monteiro

Bacharel em Sistemas de Informação pela Faculdade Maurício de Nassau e desenvolvedor PHP. Além de programador, produzo conteúdo e gerencio blogs. Sou especialista em desenvolvimento de software, SEO de sites e em negócios digitais.